Email recebido do nosso conterrâneo e sempre amigo Leonel Salvador, referente ao livro recentemente escrito por Álamo Oliveira, edição da Junta de Freguesia do Raminho

Olá Honorato, olá JFRaminho, que estejam todos bem!

Na nossa freguesia, não nasceu o CR7 mas nasceu Álamo Oliveira, que foi, é e será sempre o maior ícone da nossa freguesia (sem ofender o Eduíno), a todos os níveis, doméstico e internacional.
O último livro recentemente publicado, “Raminho dos Folhadais”, veio despertar em muitos de nós, aquilo que é o apego e o amor que temos pelo nosso Raminho.
Com o seu nome já imortalizado (e muito bem) na Biblioteca da Junta de Freguesia, sei que o nosso escritor, já não terá idade ou pachorra, para requerer junto das entidades civis competentes, um processo de alteração de nome. No entanto, atrevo-me aqui, a fazer uma sugestão:

Que o seu nome seja alterado de “José Henrique do Álamo Oliveira” para “José Henrique do Álamo “Raminho” de Oliveira”.

(No Cartão de Cidadão ou no Bilhete de Identidade, até parecia bem.)

Enfim brincadeiras.
O meu pai, ainda eu era criança, tinha um maneira muito interessante de fazer a sua previsão meteorológica para a freguesia,  foi inspirado nisso que escrevi o anexo que partilho convosco.
Espero pisar solo Raminhense em breve. Saudades!

Um abraço Raminhense (e pessoal)!
José Leonel C. Salvador

Raminho, Rosa dos Ventos

Sopra forte,
O vento do norte!
Vem de baixo, é da Graciosa.
Se vier de frente,
Quase nascente,
É o frio d’Ataloza!

Ponta da Vista, não se vê!
Canada dos Morros, há nuvem preta.
Lá diz o povo, não sei porquê
“Temos nevoeiro na Serreta”!

Do Pico Queimado,
Ao Pico Rachado,
Pelo meio a Chamuscada.
Raminho dos Folhadais,

É onde os pontos cardeais
Quase não valem nada!
Do alto da serra, à rocha com feno,
D’uma ponta à outra c’o a Igreja ao Centro.
Poderá o meu coração ser pequeno!
Mas o meu Raminho, caberá sempre lá dentro!

Toronto, 2015/02/02
Leonel Salvador